Tag: Brasil

Governo de Roraima publica decreto oficial sobre o cancelamento

Foi publicado nesta quinta-feira (14), o Decreto nº 26.561 de 13 de fevereiro de 2019, que determina o cancelamento da realização do Concurso Público para provimento de cargos das carreiras da Polícia Civil do Estado de Roraima, regido pelo Edital nº 1 – PCRR/SEGAD, de 17 de agosto de 2018.

De acordo com o Decreto nº 26.561, o Governador do Estado informa que decretou estado de calamidade no âmbito de gestão financeira no Estado.

Além disso, considera a inexistência de estudo de impacto orçamentário e financeiro que antecede o certame do Concurso Público para o provimento de Cargos Efetivos no Poder Executivo Estadual, e também, a Decisão Judicial onde o juiz Luiz Alberto de Moraes Júnior da 2ª Vara da Fazenda Públicareconsidera a liminar que matinha o concurso da Polícia Civil de Roraima em andamento, que fica determinado:

Art. 1º Fica cancelada a realização do concurso público para provimento de cargos das carreiras da Polícia Civil do Estado de Roraima, regido pelo Edital nº 1 – PCRR/SEGAD, de 17 de agosto de 2018.

Em seu parágrafo único, o Decreto nº 26.561 informa que os direitos dos candidatos serão resguardados.

Parágrafo único: Ficam resguardados os direitos dos candidatos à devolução do valor correspondente à taxa de inscrição no certame, cabendo à Secretaria de Estado da Administração adotar as medidas necessária para tanto.

Concurso da Polícia Civil de Roraima teve mais de 30 mil inscritos

Ao todo, foram mais de 30 mil inscritos para o concurso PC-RR e as provas seriam aplicadas no próximo final de semana, nos dias 16 e 17 de fevereiro em Boa Vista.

O concurso PC-RR, aberto em agosto de 2018, foi suspenso no início deste mês pelo Governo do Estado, junto com outras três seleções: Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), Polícia Militar e Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).

Os concursos da PM-RR e da Setrabes foram mantidos após o governador voltar atrás em sua decisão, já que as provas para o concurso da Polícia Militar foram realizadas em dezembro de 2018 e o da Setrabes estava homologado. Os prazos para as próximas etapas do concurso PM-RR foram adiados.

O edital da PC-RR contemplava 330 vagas de níveis médio e superior, incluindo reserva para candidatos com deficiência. As lotações seriam na capital e no interior do Estado.

As oportunidades eram para os cargos de Delegado de Polícia. Médico Legista, Odonto-legista, Perito Criminal em várias especialidades, Escrivão de Polícia, Agente, perito Papiloscopista, Auxiliar de Perito Criminal e Auxiliar de Necrópsia.

Justiça determina o cancelamento do concurso da Polícia Civil de Roraima

O juiz Luiz Alberto de Moraes Júnior da 2ª Vara da fazenda Pública reconsiderou nesta quarta-feira (13) a liminar que matinha o concurso da Polícia Civil de Roraima em andamento, e acatou o pedido do governo para cancelar o concurso com provas previstas para esse fim de semana em Boa Vista.

A decisão foi proferida após o governo do estado recorrer da liminar que obrigada a realização das provas e pedir à justiça o cancelamento do concurso. O juiz deu o prazo sucessivo de 15 dias para o governo e o Ministério Público, que pediu a manutenção das provas, se manifestarem.

Na decisão, o juiz avaliou as alegações do governo que anunciou o cancelamento de concursos e adiou o início das aulas por conta da crise financeira do estado no dia 2 de fevereiro e avaliou que “a manutenção das provas do concurso da Polícia Civil confere risco de dando irreparável ou de difícil reparação que nitidamente afeta o interesse público”.

O estado de Roraima enfrenta crise financeira, extrapolou o gasto com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal e alega que não há recursos e nem previsão orçamentária para realizar concursos.

Edital de convocação dos candidatos

Ainda nesta quarta-feira (13), a empresa contratada para realização do certame, Fundação Vunesp, publicou o edital de convocação dos candidatos inscritos para comparecerem aos locais de provas do Concurso PC-RR obedecendo a decisão judicial do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima (TJ-RR), em resposta ao anúncio do governo do estado, feito no dia 2 de fevereiro, para cancelar o certame e cortar os gastos em meio à crise financeira que o estado atravessa.

Concurso PC-RR: As provas para o concurso público da Polícia Civil de Roraima com oferta de 330 vagas estavam previstas para acontecerem nesse fim de semana, nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2019.

Governador de Roraima cede à pressão de manifestantes e mantém concurso da PM

O governador do Estado de Roraima, Antonio Denarium, voltou atrás na noite desta quinta-feira, 7, sobre o cancelamento do concurso da Polícia Militar, decidindo manter o concurso. A medida ocorreu após concurseiros pressionarem o governo com manifestações contra a decisão que cancelou quatro concursos públicos em Roraima, entre eles o da PM.

O governador afirmou que mesmo mantendo o concurso da PM-RR, os prazos para as próximas etapas do concurso serão adiadas. O certame prevê a contratação de 400 soldados e as provas objetivas foram aplicadas em dezembro de 2018. O resultado da avaliação estava previsto para 28 de fevereiro. O governador, porém, disse que não há orçamento para seguir com o cronograma inicial da seleção

Por isso, a solução encontrada foi adiar as outras etapas do concurso – testes físicos, psicológicos e investigação social. “A recomendação da nossa procuradoria (Geral do Estado) seria pelo cancelamento, mas nós optamos por adiar as etapas e manter o concurso”, destacou o governador em coletiva de impressa.

Denarium também decidiu manter o concurso da Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), já homologado.

Polícia Civil-RR e Sejuc

Já o da Polícia Civil, embora a justiça já tenha dado decisão que obriga o estado a continuar com o certame, Denarium afirmou que a Procuradoria Geral do Estado vai recorrer para que permaneça cancelado ou para que seja suspenso.

“A Procuradoria Geral do estado tem que recorrer porque naquele momento em que foi registrado o concurso não se tinha a atual situação que temos hoje. […] A Justiça é quem vai definir se cancela ou se prorroga. Lembrando, mais uma vez, que hoje nós não temos dinheiro, não temos orçamento e não temos recursos. Então, vai depender do orçamento e da decisão judicial”, informou o governador sobre a realização do concurso da Polícia Civil.

Quanto ao concurso da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), o governador afirmou que segue cancelado. A seleção da Sejuc é a única que ainda estava na etapa de autorização e planejamento com previsão de 100 vagas.

“Sei da necessidade de mais agentes penitenciários, que estamos construindo um novo presídio, reformando a Penitenciária Agrícola e é fato que vamos precisar aumentar o quadro de agentes, mas não posso falar se vai ser daqui a quatro meses ou seis. Depende do orçamento do estado”, pontou Denarium.

Durante a coletiva, foi informado também que o andamento de todos os concursos vai depender do ajuste que o estado precisa fazer para se enquadrar na Lei de Responsabilidade Fiscal. Conforme Denarium, o gasto com pessoal chega a 52,02%, enquanto o limite deve ser de 49%.

“Para que a gente possa nomear algum servidor público, a gente tem que estar com 46%, porque 49% é o limite. Então, eu não posso contratar, e para que a gente chegue a isso é necessário fazer a redução na folha de pagamento”.

Concurseiros da PM comemoram a vitória

A decisão do governo em manter o concurso da PM, mesmo com a decisão de estender os prazos, foi comemorada por concurseiros que pretendem ingressar na corporação.

De acordo com o candidato ao certame Eder Escórcio após lutarem há quase seis dias pela manutenção do concurso, o governador decidiu manter o concurso.

“A primeira fase foi realizada e ele disse que vai manter as etapas, era o que o movimento dos concurseiros de Roraima pretendia. Lutamos há quase seis dias. O governador honrou sua palavra e nesse momento agradecemos o compromisso. As etapas agora, com certeza, serão um pouco alongadas, mas o concurso está mantido e esses homens e mulheres que passarem irão contribuir para a segurança pública de Roraima”, disse Eder Escórcio, um dos candidatos inscritos no certame.

Governo de Roraima informa que os concursos terão novo cronograma

Na manhã desta quinta-feira, cerca de 250 concurseiros e professores realizaram um novo protesto reivindicando a manutenção dos quatro concursos públicos que foram cancelados pelo governo do estado no último sábado (2).

Após as manifestações, uma comissão representada por concurseiros foram recebidos pelo governador Antonio Denarium, no Palácio do Governo. Durante o encontro, foi acordado que os concursos que haviam sido cancelados pelo gabinete de crise da gestão poderão ter novo cronograma.

De acordo com João Catalano, advogado da comissão dos concurseiros que participou da reunião, informou que o concurso da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar (Setrabes) será mantido, porém, o concurso da Polícia Civil continuará cancelado, e o da Polícia Militar e da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) terão novas datas.

“O que ficou acordado é que o concurso da Setrabes será mantido, assim como compromisso de convocação de todos os aprovados. O concurso para agentes penitenciários não terá como sair esse ano, porém não está descartado. O concurso da Polícia Civil tem grande possibilidade realmente de ser cancelado e o da Polícia Militar há o consenso para a manutenção da segurança, mas com alteração dos prazos das fases que virão”, relatou.

Governador de Alagoas anuncia concursos para Polícia Civil e Perícia Oficial

Durante um evento realizado na última segunda-feira, 4, o governador do Estado de Alagoas, Renan Filho, falou sobre os preparativos para o concurso da Polícia Civil-AL e anunciou edital para a Perícia Oficial.

A Agência de Notícias de Alagoas, informou que ambos os editais estão em fase final de preparação. Por isso, a expectativa é que sejam publicados nas próximas semanas. O número de vagas que serão oferecidas para o concurso não foi informado.

Para o concurso da Polícia Civil-AL serão contemplados os cargos de agente (superior em qualquer área de formação) e delegado (bacharel em Direito). No caso da Perícia Oficial-AL as carreiras que serão contempladas não foram divulgadas.

Segundo o governador do Estado de Alagoas, a segurança pública se faz com investimentos em inteligência, com mais presença policial nas ruas e fortalecimentos das Polícias.

“Segurança Pública se faz, sobretudo, com investimentos em inteligência, com mais presença nas ruas e com mudança de postura. Esse é o nosso trabalho. Fortalecer a Polícia Civil e a Perícia Oficial vai elevar a capacidade investigativa que, a meu ver, é fundamental no sentido de quebrar a roda do crime, que é alimentado sempre pela impunidade,” disse Renan Filho.

Salários podem chegar a R$ 10 mil

O concurso PC-AL é aguardado desde 2016, quando a Delegacia Geral do órgão solicitou ao Gabinete Civil a abertura da seleção. Na ocasião foram solicitadas 300 vagas, sendo 200 para agente e 20 para delegado, além de outras 80 para a carreira de escrivão.

Em janeiro de 2018 o governador sancionou reajustes dos salários para os agentes, que passou a valer desde dezembro. O vencimento inicial é de R$ 3.800, e atualmente, o valor pode chegar a R$ 10.763,58 com as progressões por tempo de serviço e por cursos de formação.

Últimos concursos foram realizados em 2012 e 2013

Para o cargo Perícia Oficial, o último concurso foi realizado em 2013 e teve oferta de 37 vagas. As oportunidades estavam distribuídas entre os cargos de perito criminal em várias especialidades, ao todo 20, perito médico-legista com 8 vagas, papiloscopista com 5 e técnico forense com 4 vagas.

 Para o cargo de técnico forense o requisito foi de nível médio completo e o vencimento inicial era de R$ 2.704,59. As demais carreiras exigiram formação de nível superior e tinham iniciais de R$ 6.320,77, exceto para papiloscopista que era no valor de R$ 2.704,59.

No caso da Polícia Civil, o último concurso foi realizado em 2012 com 400 vagas para os cargos de agente, delegado e escrivão. Os candidatos realizaram prova objetiva de conhecimentos básicos, prova discursiva de conhecimentos específicos, teste físico, avaliação psicológica, investigação social, exame médico e curso de formação policial.

Concurso INSS: Gerente executivo do Piauí fala de autorização

O gerente executivo do Instituto Nacional do Seguro Social no Piauí, Ney Ferraz, informou que o concurso INSS 2019 está autorizado. Segundo ele, são esperadas 17 mil vagas, distribuídas por todo o país.

“O ex-presidente do INSS, Edison Aguiar, deu o pontapé inicial. Já há um novo concurso autorizado pelo Ministério do Planejamento (atual Ministério da Economia), de quase 17 mil vagas para todo o Brasil”, revelou Ney Ferraz, em entrevista ao Piauí TV, telejornal da Rede Clube, afiliada da TV Globo no estado.

Apesar das declarações do gerente executivo, a portaria autorizativa do concurso INSS ainda não foi publicada no Diário Oficial da União. Ou seja, o aval oficial ainda não foi concedido. Na entrevista, Ney Ferraz, também deu previsões para que o INSS abra a seleção.

“Creio que até o final deste semestre (junho) já deva estar lançado o edital, tanto para a Assistência Social e serviços meio (técnicos e analistas), quanto para médicos”, confirmou.

As declarações de Ferraz foram dadas, após o dirigente ter sido questionado sobre o grave déficit de pessoal nas agências da Previdência do estado.

Pedido de Concurso INSS em análise

O pedido de concurso para o INSS segue em análise pelo Ministério da Economia, que agregou as funções do extinto Ministério do Planejamento.

O órgão pede ao governo a abertura de um novo concurso com 7.888 vagas para os níveis médio e superior. Destas 3.984 são para técnicos, 1.692 para analista e 2.212 para peritos.

As oportunidades solicitadas para o INSS são para os seguintes cargos:

  • Técnico em Seguro Social (nível médio): 3.984 vagas
  • Analista do Seguro Social (superior): 1.692 vagas
  • Perito Médico (graduação em Medicina): 2.212 vagas

As renumerações para os cargos de técnico, analista e perito são, respectivamente, R$ 5.186,79, R$ 7.659,87 e R$ 12.638,79.

Além disso, o INSS aguardava também a liberação para convocar os excedentes do concurso realizado em 2015. O total, portanto, era de 16.548 vagas. Entretanto, a seleção de 2015 teve validade encerrada em agosto de 2018. Logo, é possível que o governo tenha realocado essas vagas para um novo edital, totalizando as quase 17 mil mencionadas pelo gerente.

No início de 2019, o pedido de concurso INSS teve novas movimentações e chegou à assessoria parlamentar. Antes, foi concluída na Divisão de Concursos Públicos.

A falta de concursos e de servidores no órgão reflete diretamente nos atendimentos prestados à população como a concessão de benefícios.

Em algumas agências, por exemplo, a do Estado do Rio de Janeiro, mais de 32 mil pessoas aguardam a análise da aposentaria. Os dados foram transmitidos pelo próprio INSS. O motivo para a demora nos pareceres é a falta de profissionais.

Orçamento 2019 tem previsão de recursos para o concurso INSS

O Orçamento Federal de 2019, aprovados pelo presidente Jair Bolsonaro em 16 de janeiro, prevê reserva de recursos para inscrição para concurso e processo seletivo na Seguridade Social. A previsão é de R$ 10.745,945 para inscrição que consta nas despesas do Orçamento da Seguridade Social e pode ser destinado ao concurso INSS.

O Orçamento de 2019 também confirma a previsão de 48.224 vagas federais, sendo 4.851 para criação e 43.373 para provimento.

Esse número pode resultar em novos concursos em 2019. A Lei 13.808, que trata do Orçamento, prevê R$ 3,3 trilhões de gastos.

Estude com os melhores!

Confira aqui curso online completo para o Concurso INSS:

Utilize o cupom >> QUEROPASSAR << ao final da compra para ativar o desconto promocional.

Justiça manda governo de Roraima exonerar servidores temporários da Setrabes

A Justiça de Roraima mandou o governo do estado exonerar todos os servidores temporários lotados na Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes) em um prazo de 72h. A decisão foi proferida nessa terça-feira (5) pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Roraima, Luiz Alberto de Morais Júnior.

A determinação foi dada após pedido do Ministério Público de Roraima (MP-RR) realizado no dia 4, que alegou ser incoerente cancelar o concurso já homologado para cortar gastos sendo que o estado contratou mais comissionados para a pasta do que o número de vagas oferecidas pelo certame.

No último sábado, dia 2, o governo cancelou todos os concursos públicos em andamento, incluindo o da Setrabes que estava homologado.

Governo de Roraima tem 72 horas para cumprir a decisão

Além da exoneração, a decisão obriga que governo comprove perante a Justiça que os servidores foram dispensados dentro das 72 horas que foram concedidas.

“Determino, por cautela, a intimação, por ora, com urgência, do procurador-geral do estado para prestar esclarecimentos acerca do fato narrado pelo exequente (o MP-RR), no prazo de 72h, bem como para que, no mesmo prazo, comprove o desligamento dos servidores de vínculo temporário”, descrito no trecho da decisão.

A determinação menciona também um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre o estado e o MP-RR, que prevê a realização do concurso Setrabes.

O acordo de 2014 e firmado em 2016, garantira a realização do certame justamente para reverter problemas do efetivo defasado da secretaria.

Caso descumpra a decisão até a sexta-feira (8), o governo será penalizado a pagar uma multa diária no valor de R$ 5 mil. O estado também deverá prestar esclarecimentos quanto ao possível descumprimento do TAC.

Em publicação do Diário Oficial do Estado de Roraima datada no dia 2 de janeiro, o governo de Roraima nomeou 206 funcionários comissionados para trabalhar na Setrabes.

O concurso para a pasta oferece 73 vagas. De acordo com a coletiva do governo realizado no último sábado (2), a efetivação dos aprovados não ultrapassa o teto orçamentário da secretaria.

Governador de Roraima se compromete a reavaliar suspensão de concursos públicos; Aplicação das provas para PC/RR seguem mantidas

O governador de Roraima, Antonio Denarium, se comprometeu na última segunda-feira (04), reavaliar a suspensão de pelo menos quatro concursos no estado. Em sua página do facebook, Denarium garantiu que analisará cada posição para fazer um posicionamento definitivo.

Apesar da suspensão anunciada pelo vice-governador, Frutuoso Lins. A VUNESP comunicou através de seu site, por meio do comunicado “PCRR1701“, que ficam mantidas as aplicações das provas objetivas e discursivas nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2019, conforme ação judicial (processo 0813297-68.2018.8.23.0010).

De Brasilia, Antonio Denarium diz que tem acompanhado com preocupação os desdobramentos sobre o assunto “concursos públicos”. E com responsabilidade e o objetivo de salvaguardar os concurseiros, se comprometeu em avaliar possibilidades cerca do tema.

O posicionamento definitivo deve vir após a quarta-feira (06), quando o governador retorna à Roraima para analisar a situação de cada concurso público.

“Estamos passando por momentos difíceis e jamais será do meu interesse prejudicar os concurseiros. Juntos chegaremos a uma decisão que seja boa para todos. Estarei em Roraima na quarta-feira e vamos analisar cada concurso para fazer um posicionamento definitivo”, comprometeu.

Uma das promessas de campanha do então governador de Roraima, Antonio Denarium, representante do Partido Social Liberal (PSL), foi a manutenção de concursos públicos. Mas revelou que não tinha o real conhecimento das contas do estado.

Justiça determina realização do concurso público

Uma vez que a organizadora do concurso público foi contratada pelo valor de R$ 5,5 milhões e que mais de 30 mil pessoas inscritas. O promotor de Justiça de Execução Penal e Controle da Atividade Policial, Valmir Costa, informa que o estado incorre em ato de improbabilidade administrativa.

“O estado contratou uma empresa para realizar um serviço, mais de 30 mil candidatos se inscreveram e agora se anuncia o cancelamento do concurso a duas semanas de realização da prova, daí vem a constatação: o dano ao erário advindo dessa medida precisa e deve ser apurado e ressarcida em atos de improbidade administrativa autônomo”, destaca o promotor de justiça.

Justiça ordena que governo mantenha concurso da Polícia Civil de Roraima

A Justiça de Roraima concedeu nesta segunda-feira (4) uma decisão que determina o governo de Roraima a manter o concurso da Polícia Civil em andamento. No último sábado (2), o estado anunciou o cancelamento de todos os concursos públicos incluindo o da Polícia Civil que teve mais de 30 mil inscritos.

Ainda nesta segunda-feira, o Ministério Público de Roraima (MP-RR) pediu a manutenção do concurso para Polícia Civil de Roraima, com provas previstas para fevereiro. O pedido foi assinado pelo promotor Valmir Costa da Silva Filho da Promotoria de Justiça de Execução Penal, de Controle Externo da Atividade Policial e Crimes Militares onde foi incluído em uma ação que já tramita na 2ª Vara da Fazenda Pública e obrigou o estado a lançar o edital.

A decisão é assinada pelo juiz Luiz Aberto de Moraes Júnior sendo concedida após pedido do Ministério Público de Roraima.

De acordo com o processo, o Juiz Luiz Aberto, determina que seja mantido e realizado o concurso público para provimento de vagas na carreira policial civil, com a efetiva realização das provas.

“Em razão da manifestação do Ministério Público Estadual acerca do cancelamento do Concurso Público da Polícia Civil do Estado de Roraima, descumprindo o acordo firmado entre as parte nos autos do Inquérito Civil Público nº 003/2017 e contrariando a manifestação do próprio executado no EP nº 15, determina a manutenção do certame, na forma contratada com a empresa Vunesp, ou seja, para que se realize o concurso público para provimento de vagas na carreira policial civil, com a efetiva realização das provas objetivas e subjetivas, conforme o edital nº 1 – PCRR/SEGAD, de 17 de agosto de 2018.”

Governo de Roraima anuncia cancelamento de todos os concursos públicos em andamento

Urgente! Durante pronunciamento no Palácio Senador Hélio Campos na manhã deste sábado (2), o vice-governador Frutuoso Lins afirmou que todos os concursos públicos em andamento, incluindo da Setrabes, que estava homologado, estão cancelados em Roraima.

De acordo com o vice-governador, os concursos públicos da Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) e das Polícias Civil e Militar foram suspensos. A medida é baseada na crise financeira enfrentada pelo estado e na busca pela recuperação econômica.

Quanto aos candidatos já inscritos, todo valor gasto será devolvido. Para isso, o governo pretende divulgar, em breve, um cronograma para estorno.

Concurso PC-RR: As provas para o concurso público da Polícia Civil de Roraima com oferta de 330 vagas estavam previstas para acontecerem nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2019.